Reputação

Para os heathens antigos a reputação não estava ligada apenas ao ser amplamente conhecido, como diz o ditado moderno “falem bem ou falem mal, mas falem de mim”, na verdade, esse ditado não possui nada a ver com honra no sentido tribal. Orðstír era a palavra em nórdico antigo comumente usada para se referir a renome e boa reputação, ou fama

Essa orðstír ou boa reputação era essencialmente obtida através de atos valorosos para todo o innangarðr, a qual era inclusive recompensada com presentes valiosos pelos cyningas ou outros nobres e pessoas de status social avançado, e assim obviamente proporcionava mais mæġen para o grupo e para a pessoa com grande fama.

A verdadeira fama buscada era a imortalização, na verdade, dentro de toda a forma de pensar antiga, a fama era uma das virtudes mais individuais, sob um aspecto: os heathens antigos esforçavam-se para ser o mais exemplares e possuírem uma fama tão grande que resistisse à morte, e fosse recontada por gerações, sendo elevada ao tempo mítico, à memória coletiva, eternizando o personagem famoso e o seu cynn ou grupo tribal.

Alcançar a orðstír era assim, além de aumentar a mæġen, também aumentar a sorte, a honra e as relações de friðr do innangarðr ou grupo tribal. A boa fama de um líder como jarl ou cyning era o suficiente para propiciar maior bem-estar e harmonia para toda a tribo, e servir de exemplo para todo o seu povo.

Por outro lado, muitos feudos iniciavam-se justamente por ataques à boa reputação de uma pessoa. A fama era assim como a honra, e precisava ser mantida a todo o custo, e toda a calúnia ou difamação deveria ser resolvida, em geral através de duelo mortal, uma vez que para os antigos era mais importante a morte a uma vida sem honra. Nos dias atuais, nosso código penal considera crime atos de limpeza de reputação e honra. Todavia, existem também leis que punem falsas afirmações e degradação de imagem alheia, o que está, certamente, baseado em ideias tribais posteriores.

Também é necessário destacar a importância. Ela é o aspecto da fama dentro do innangarðr, isto é, quando uma pessoa torna-se relevante o suficiente para ser amplamente respeitada, conhecida, admirada e até mesmo imitada dentro do grupo tribal. Ela difere-se um pouco da fama, mesmo estando interligada a ela, pois a fama é essencialmente reconhecida pelo útangarðr, sendo mais uma espécie de temor ou cuidado a se ter com a pessoa de boa reputação pelos encargos que ofendê-la pdem gerar.

Muitas pessoas prestam atenção e se importam apenas com a importância, confundido-a com fama, ao considerar apenas a forma como o seu grupo tribal ou heathen o vê. Todavia, nossa fama enquanto pessoas particulares pode afetar os laços de friðr pela reputação que nosso grupo tribal terá perante o útangarðr, uma vez que um grupo reconhecido com má reputação sentirá os efeitos disso em sua sorte e honra. Ao mesmo tempo, nossa fama enquanto heathens também é influenciada pela forma que outros heathens agem. Todavia, é importante se destacar que diferentes grupos tribais tem diferentes parâmetros para conferir importância ou boa fama para as pessoas. Não existe preto no branco, mas quando alguém é reconhecido como tendo boa ou má reputação, ele certamente leva a reputação de seu grupo junto de si.

Referências:

Eric, Real Heathenry, Reputation and fame. <link>

Lauren Crow Thacker. Feminist Heathen, On Reputation and repair. <link>

Lauren Crow Thacker, Heathen Talk Network, The reputation narrative. <link>

Beowulf, tradução de Seamus Heaney.

 

Anúncios