Innangarðr e útangarðr

Innangarðr e útangarðr em nórdico antigo, innanġeard e utanġeard para os anglo-saxões, comumente simplificado como innangard e utangard, algumas vezes traduzidos como intragrupo e extragrupo em português, são talvez os conceitos mais básicos dentro da visão tribal de Heathenry, pois eles delimitam o que é tribo e o que não, e todos os outro conceitos, como personalidade relacional, ciclo de presentes, e assim por diante, emanam deles.

Diferentemente da sociedade aberta, formada por indivíduos, organizados em famílias, todos igualmente submetidos a um mesmo estado, ou de outros grupos religiosos onde todos os praticantes são vistos como irmãos, o Heathenry tribal coloca muita ênfase na cultura vivida coletivamente por um grupo específico.

Assim, a partir de cada família e seu lar (hearth), que é a unidade básica da personalidade, e não o “indivíduo”, estendendo-se aos parentes consanguíneos ou por juramento e enfim também a outros lares unidos, formando assim a tribo, temos o innangarðr. Dentro do innangarðr as pessoas encontram-se sob a mesma lei, a mesma þēawestão ligadas pela mesma sorte, e pela mesma teia da wyrd. innangarðr é o cerco que delimita espacial e socialmente o grupo de pessoas em que se pode confiar (por estarem sob as mesmas regras) e as que não. O útangarðr é tudo que está fora disso que é seguro, nele, as leis e costumes tribais podem ou não ser reconhecidos, uma vez que ele é um local de caos (no sentido de desconhecido, inesperado, não seguramente amigável).

innangard e utangard
Toda a área em negro, na imagem corresponde às pessoas e o espaço geográfico fora da tribo, o útangarðr. Toda a área em branco corresponde ao innangarðr, o espaço onde as pessoas da tribo vivem.

Um garðr é literalmente “um recinto, lugar fechado, quintal, jardim, corte, habitação, lar, região, terra; septum, lŏcus septus, hortus, ārea, habĭtācŭlum, domĭcĭlium, rĕgio“, algo que delimita um determinado espaço. Nos tempos antigos podia ser associado diretamente com os limites e cercas das vilas e povoados tribais. O innangarðr é assim o “cercamento interno”, e o útangarðr é a área fora desse cercamento. O innangarðr equivale à segurança, enquanto o útangarðr à incerteza, e a possibilidade de prejuízo para a comunidade tribal.

O innangarðr é assim composto de pessoas: nos tempos antigos, os parentes, pais, irmãos, etc, uma vez que eles compartilhavam lei e þēaw além do sangue com cada um dos outros. Todavia, como a maioria dos parentes dos heathens tribais hoje em dia seguem outros costumes, é necessário associar o conceito de innangarðr também com a comunidade que partilha da mesma lei, þēaw e cultura, ou seja, a tribo heathen  a que se está ligado por laço de juramento, tão importante quanto o de sangue.

Nos tempos dos antigos heathensinnangarðr estava unido fisicamente também, todavia, hoje graças às cidades muitas vezes a união física não é tão possível, a não ser que as tribos pagãs morassem em comunidades, ou tivessem seus próprios sítios e áreas para morar coletivamente.

innangarðr além de ser igualado com a (sua própria) lei e com a þēaw é equivalente ao que podemos chamar de bem (good). Com isso queremos dizer que a sociedade humana, o coletivo, a tribo expressa pelo innangarðr tem suas próprias regras, criadas por aceitação do coletivo, está direcionada por um determinado tipo de þēaw ou ética, mas também conjunto de costumes, incluindo o religioso, em suma, sua cultura como um todo. E ao dizer que a tribo se equivale ao bem, queremos dizer que þēaw  e lei estão dispostas de maneira a levar o innangarðr a alcançar a friðr, a harmonia, o bem-estar, a paz interna do grupo.

Tudo aquilo que ajuda a harmonizar o innangarðr é “bom”, logo, bem e mal aqui não são valores absolutos, mas relativos ao innangarðr em questão. O que é bom para um grupo pode ser mal para outro. Bem e mal não são potências máximas, mas “bom” é simplesmente aquilo que beneficia o innangarðr e mal é aquilo que o prejudica. Assim, apesar da associação do innangarðr com o bem, o útangarðr não é necessariamente equivalente ao mal. O útangarðr só se torna mal quando age em detrimento do bem da tribo.

Innangarðr não tem a ver com raça, mas com associação de pessoas. Qualquer grupo tribal contemporâneo possui uma política, ainda que não abertamente proclamada, para a entrada de membros exteriores, para evitar a dissolução total de sua cultura, leis e costumes. O mesmo vale dentro do Heathenry tribal, que almeja reorganizar os que por ele se interessem em tribos baseadas na þēaw, lei e bem, protegidas pelo innangarðr, para a manutenção da mæġen, honra, sorte, e  friðr contra o útangarðr e seus ataques desestabilizadores, que visam subtrair tudo isso do grupo tribal.